_ SOBRE

_ ARQUITETURA

EDIFÍCIO MISTO - CODHAB/DF

CASA ALVORADA DO SUL

CASA JANDAIA DO SUL

CASA MATINHOS

IGREJA SÃO FRANCISCO

MARU ASIAN CUISINE

PARKLET VICENTINA X

SEDE CAU/IAB - DF

SEDE SENGE/RS

UBS - CODHAB/DF

_ DESIGN

_ CONTATO

CONCURSO EDIFÍCIO MISTO - CODHAB/DF

Brasília, DF | 2016

 

Implantação

 

A proposta de uma edificação de uso misto para Santa Maria/DF nasce da equação de diferentes condicionantes e premissas projetuais, consolidados sobre quatro pontos fundamentais: respeito ao cone de iluminação e ventilação, número máximo de habitações, oferta de apartamentos espacialmente qualificados e totalmente acessíveis, e uma relação de harmonia entre edifício e cidade. Assim estabelecido, foram testadas diversas implantações e partidos arquitetônicos, de tal forma que a inserção do edifício na forma de uma barra, localizada junto a face de maior dimensão do terreno, do lado oposto ao limite entre lotes, se mostrou a mais interessante. Tal opção não só se afasta das restrições impostas pelo cone de iluminação e ventilação, como também, naturalmente, cria uma praça

entre os lotes; fato especialmente interessante posta a condição de projeto em terrenos vizinhos.

 

O edifício então se divide em três módulos transversais: residencial - circulação - residencial. Desta forma, foi possível ofertar apartamentos qualificados, uma circulação generosa e aberta, e ainda assim atingir o potencial construtivo máximo para o lote. Ressalta-se também a exploração das fachadas do lote para o comércio, que desta forma se beneficia diretamente do bolsão de estacionamento, do fluxo na via principal, e das relações estabelecidas na praça entre lotes. A praça criada, assume um papel de democratização do espaço livre dos lotes, criando a oportunidade de encontros, brincadeiras, e outras atividades sociais que conformam e caracterizam sociedades saudáveis e sustentáveis. A praça se consolida então como o quintal dos apartamentos, estabelecendo relação direta com os mesmos por conta de sua escala, que como Lúcio Costa uma vez disse, permite que a uma mãe chamar seus filhos para o almoço pela janela, neste caso, uma varanda.

 

Apartamento

 

As unidades habitacionais, possuem 53,12 m2 de área útil e foram projetadas em acordo com as diretrizes do programa Minha Casa Minha Vida, da norma de desempenho (NBR 15.575) e da norma de acessibilidade atualizada (NBR 9050/2015). Os espaços internos se organizam de modo a maximizar os espaços sociais da casa, integrando cozinha, sala de jantar e estar, ao mesmo tempo que servem de circulação para as áreas íntimas. Ao mesmo tempo, o apartamento se divide de modo linear, concentrando as áreas molhadas de serviço junto ao núcleo de circulação, otimizando as prumadas hidráulicas de cada unidade, seguido pela áreas intimas e sociais abertas para a área externa do edifício, sombreadas por uma pequena varanda em balanço em conjunto com painéis metálicos do tipo grelha. A planta proposta pode ser facilmente adaptada a NBR 9050 com a simples troca de equipamentos sanitários e a inversão da abertura das portas.

 

Sistema Construtivo

 

Para responder às necessidades espaciais do edifício de uso misto adotaram-se dois sistemas estruturais complementares. O subsolo, aflorado por conta da cota de soleira, e o térreo comercial, fazem uso de um sistema simples de pilar/viga em concreto armado convencional, constituindo assim um pódium e uma mesa, elementos que não só sustentam os andares superiores, como também formalizam a diferenciação de usos da edificação. Logo acima, nos pavimentos residenciais, optou-se pelo uso de um segundo sistema estrutural baseado na alvenaria estrutural cerâmica em conjunto com a utilização de lajes painel pré-fabricadas de concreto. As duas naves residenciais são conectadas por passarelas de circulação estruturadas em perfis metálicos de alma cheia tipo “I”, que também contribui para o contraventamento de toda estrutura. O sistema consolida-se assim como uma obra tradicional, de baixo custo e rápida execução.

 

Sustentabilidade

 

A sustentabilidade pode ser percebida ao longo de todo o projeto em suas mais variadas facetas, desde seu aspecto social e cultural, ao propiciar ao morador diferentes espaços de encontro, acessibilidade, e qualidade espacial dentro e fora de seu apartamento. No que tange a sustentabilidade ambiental e econômica, pode se destacar soluções passivas de atenção ao conforto higrotérmico com a atenção a possibilidade de ventilação cruzada, janelas de piso-teto para melhor aproveitamento da iluminação natural, adoção de

varandas projetas e painéis metálicos para sombreamento. Mais além, é proposta a coleta e o tratamento das águas pluviais, o uso de iluminação em LED nas áreas comuns, temporizadores, sensores de presença e medidores de consumo de água, energia elétrica e gás individualizados.

 

 

 

*Colaboração: Guilherme Figueiredo

 

 

 

 

Avenida Vicente Machado 331, Casa 10A | Curitiba - PR - Brasil | contato@soloarquitetos.com.br | +55 41 3117 5557